Simplificada ou completa? Que tipo escolher?

Simplificada ou Completa? Saiba qual das opções de declaração de ir deve escolher.

Se você fica confuso e perdido no momento de escolher entre o tipo de declaração: simplificada ou completa, na hora de enviar para a Receita Federal  ou mesmo antes de começar a fazê-la, não se sinta um peixe fora d’água, pois, isso é bem mais normal do que você imagina.

Se você está em umas das situações seguintes:

  1. Não sabe nada sobre imposto de renda
  2. Sabe um pouco, mas, não sabe que tipo de declaração escolher para pagar menos imposto
  3. Quer mais informações para validar ou não o que você sabe até o momento

Então você encontrará respostas a seguir.

Algumas dicas simples que vão te guiar para o modelo mais vantajoso, na tarefa de escolher entre o modelo de declaração completo ou simplificado do imposto de renda.

# Dica 1

Faça o cálculo, para saber se as suas despesas que podem ser deduzidas excedem 20% dos seus rendimentos ou passam de 16.754,34 reais, valor válido para a declaração de 2016, caso ultrapassem, vale a pena preencher a declaração completa para ganhar um desconto maior.

# Dica 2

Agora que sua aflição ficou no passado, mais uma dica importante, é sempre recomendável preencher a declaração completa no programa da Receita Federal, incluindo todas as informações necessárias, pois, ao final o programa te demonstrará também o modelo mais vantajoso.

Esse caminho é mais trabalhoso e seguro, pois, ao fazer um cálculo fora do programa, algumas regras podem ter sido mal interpretadas e algumas despesas podem ter sido esquecidas, com ela preenchida, você colocará a cabeça no travesseiro e dormirá com a certeza do dever cumprido.

 

Quando escolher o modelo completo?

 

Sempre que houver elevados gastos dedutíveis, excedem 20% dos seus rendimentos ou passam de 16.754,34 reais. Esses gastos tornam menor a sua renda tributável e por consequência, diminui o montante sobre o qual incidirá a alíquota de imposto de renda. Lembrando que os gastos dedutíveis são as despesas pagas durante o ano que podem ser abatidas da base de cálculo do imposto. Importante destacar que é necessário a guarda dos comprovantes por 5 anos. Pode ser necessário apresentá-los à Receita Federal via procedimento de Malha Fina.

 

Quando escolher o modelo simplificado?

 

O contribuinte sai no lucro com o modelo simplificado, sempre que os gastos dedutíveis não excederem a 20% dos seus rendimentos ou são inferiores a 16.754,34 reais.

Geralmente é vantajoso para quem possui somente uma fonte de renda. Outras características comuns são não ter dependentes e possui poucos gastos com educação e saúde. Exemplo real que passam os jovens em início de carreira, que não têm filhos e não recebem salários muito altos.

 

Por outro lado, quem ganha mais de 75.985,10 reais por ano (cerca de 6.300 reais por mês) não terá o benefício completo.  Isso ocorre em função de abater menos de 20% da renda tributável se optar pela simplificada, já que o valor limite é de 16.754,34 reais. Para esses casos, o modelo completo será mais vantajoso.

 

Quem está obrigado ao modelo completo?

 

Apenas produtores rurais são obrigados a optar pela declaração completa. Somente os produtores que têm prejuízo a compensar e contribuintes que queiram compensar o imposto já pago no exterior.

 

E agora? O que fazer?

 

Planejamento e ação! Junte todos os documentos, reserve um tempo e preencha a declaração com muita atenção e cuidado. Não esqueça de reservar um tempo para revisar todas as informações preenchidas, afinal, você não quer ter dor de cabeça com o Leão depois, certo?

E por fim, caso tenha imposto a restituir, a rapidez em enviar a declaração agiliza a análise pela Receita Federal. O resultado é que, não encontrando-se nenhum erro ou inconsistência a liberação da sua restituição é feita rapidamente.

Veja o nosso especial sobre IRPF 2016, com tudo o que você precisa saber para a sua declaração. (clique aqui)

 

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.